Autoconhecimento

Viver dos seus sofrimentos é uma decisão?

Ela me deixou.

Antes fosse após anos de relação, quando o seu sorriso já tivesse perdido o encanto e suas manias já me gerassem certa irritação.

As coisas esfriam com o tempo, mas não. Ela me deixou enquanto ainda havia calor. E a ausência de calor me fez tremer.
De dor.

Em meio ao meu sofrimento surge Alice. “Anime-se! Já sei, vamos tomar um café!”. Eramos bons amigos, o que me chateava ainda mais. Ela não entendia o meu sofrer. Meu vazio não se preencheria com cafeina. “Não, Alice. Obrigado”.

Minha dor não era de hoje. Era mais como uma maldição.

Ainda quando eu tinha 5 anos, meus pais se separaram e minha mãe partiu. Foi a última vez que a vi.

Aos 20, Paula (ex-ex) me traiu com meu melhor amigo. A vida só podia estar de sacanagem.

A cada ferida, minha cicatriz parecia doer mais. Eu não quero mais confiar nas pessoas. Tenho nojo da humanidade.

Perdi as contas, mas já estou há muitos dias em depressão. Meu vício por sorvete me consome e chego sempre atrasado no trabalho.

Chegava. Acabei sendo demitido. O chefe era meu amigo.

Para piorar, Alice não para de me mandar mensagens, dizendo que quer me ver bem. Ela não pode me ajudar. Ninguém pode.

Meu passado volta a me atormentar.

O que eu mais queria era me livrar de tudo o que me aconteceu nessa vida.


Ela me deixou.

Nunca vou entender o porquê. Mas sei que errei em diversos pontos. A questão é que, se não foi, não era para ser.

Se eu não tivesse terminado com a Paula (minha ex-ex), nunca teria conhecido a minha atual namorada. Digo, Ex-namorada. Provavelmente, se eu nunca terminasse essa relação, não haveria como conhecer uma nova pessoa especial (interessadas, me liguem).

Obrigado Paula, por me trair com meu melhor amigo. Só assim percebi que ele não era realmente tão amigo. Eu estava confortável com as minhas “amizades” e mal percebia o que elas me faziam. Comecei a sair mais, conheci muita gente nova!

“Anime-se! Já sei, vamos tomar um café!”. Foi o que Alice, minha amiga de trabalho disse. Naquele momento, tive a oportunidade de perceber coisas diferentes nela.

Por que eu nunca reparei que ela era tão bonita? E tinha gostos tão parecidos com os meus? Eu sempre ficava feliz perto da Alice, mas nunca dei espaço para perceber isso. Imagino se ela vai ser meu próximo amor…ou quantas outras Alices não vou encontrar por ai. Tanto faz.

A vida é um mistério.

Minha mãe me deixou. Eu era um garoto mimado e depois disso tive que aprender a me virar. A minha vida ficou realmente boa, apesar de tudo. Eu teria as mesmas oportunidades se algo fosse diferente?

Meu carácter foi construído através do meu passado.

O que me interessa realmente é saber onde eu quero chegar. E eu vou chegar.


Os fatos não mudam. As interpretações sim.

Aproveitar o que existe ao seu redor pode ser uma escolha sua. Você só precisa começar.

E se quiser ler mais dos meus textos, inscreva-se na nossa newsletter, me siga no Medium e recomende este texto aos seus amigos.

Obrigado Pela Leitura!

DUPLIQUE A SUA PRODUTIVIDADE E GANHE MAIS TEMPO E DINHEIRO

Agende um Coach-Training em Produtividade presencial

Quero ter uma alta performance
0 Shares
Share
Tweet
Share
Pin